sexta-feira, 4 de agosto de 2017

AULINHA ENCANTADA





A professora Cotinha transformava as suas aulas em um verdadeiro conto de fadas, entra na sala dá um sorriso para a sua turminha todos sentados no chão ansiosos para mais uma das lindas historinhas.
Tia Cotinha como era carinhosamente chamada por causa do  seu jeito bondoso senta ao centro da roda enquanto olhinhos brilhantes não desgrudam da amada professora,
- Tia que bicho vai entrar hoje na nossa aula?  Perguntou       Mariazinha a mais meiguinha da turma, uma garotinha de cabelos encaracolados e sardas no nariz.
- Vamos fazer uma viagem pelos livros e juntos iremos  escolher quem vai participar da nossa historinha, - Disse dona Cotinha.
- Tia conta a de Maria e João? – pediu Pedrinho o mais tímido da sala.
Com passadas pequenas dona Cotinha caminha com os alunos para a sala onde ficavam todos os livros de historinhas.
- Vamos escolher uma que combine com o tema da nossa aula. Com cuidado ela vai pegando livro por livro. – Achei! Vamos  ouvir a historinha da raposa atrapalhada e da galinha sabida. Pegando o livro voltam para a sala de aula, ao passar pelo pátio dona Cotinha para um pouco para admirar a beleza do verde das montanhas sendo regada com chuvinha fina levando-a a fazer um retorno a sua infância quando nas tardes chuvosas a sua avó reunia os netos para ouvirem as historinhas daquela época que não tinha livros e eram todas eram passadas de geração a geração.
Vamos se sentar pediu dona Cotinha. – vamos ouvir uma historinha de uma raposa atrapalhada que sempre era enganada por uma galinha sabida.
Todos atentos os olhos nem piscavam,
- Era uma vez numa fazenda bem ao pé da serra as galinhas ciscavam soltas pelos campos degustando das fartas sementes e só retornavam de papos cheios. Todas as galinhas morriam de medo das raposas que rondavam em busca de um jantar saboroso com carne fresca de galinha, no meio uma das galinhas  tinha a pretinha muito metida a sabida e não se preocupava com nada muito menos de uma raposa boba e atrapalhada.
Uma tarde a galinha pretinha reuniu todas as outras galinhas e foram ciscar bem ao lado do riacho, ciscavam daqui bicavam dali e foram sem perceber que estava próxima a toca das raposas. Na porta a raposa atrapalhada tomava banho de sol e nem se moveu ao ver as galinhas se aproximando,
- Que raposa mais boba essa, tantas galinhas gordas e ela nem se move, - Disse a galinha pretinha.
- Não estou com fome e não sei caçar, respondeu a raposa. Meus pais sim adoram uma galinha e está por ai a procura, quem sabe uma de vocês queira ficar aqui assim quando voltarem eu digo que  eu o  cacei,
Não tardou e ouviram as passadas das raposas, as galinhas mais que depressa deram no pé, antes a pretinha precisava aprontar uma com aquela raposa boba e combinou de se encontrarem no dia seguinte assim uma das galinhas viria com ela como se fosse caçada pela mesma.
A raposa toda empolgada concordou e na manhã bem cedinho foi ao encontro marcado, chegando lá só estava à galinha pretinha que levou a raposa para uma armadilha.
Como a filha não voltou à família resolveu encontrar uma maneira de se vingar das galinhas, pela manhã ficou a espera na beira do rio onde elas costumavam ir ciscar.
- Se escondam- disse o papai raposo. Eu fico aqui e quando estiverem todas juntas  pego de surpresa.
Esperou, esperou, o sol ardia à fome dominava e nada das galinhas chegarem. Resolveram voltar para casa e planejar outra forma de pegar.
Ao entrarem na toca lá estava à galinha pretinha rindo com a raposa, o papai cheio de artimanha correu para abocanhar a galinha e caiu numa armadilha. A galinha gargalhava enquanto o raposo uivava de raiva.
- Escuta aqui sua galinha, me pegou por que estava distraído, Vamos fazer um trato você me liberta e eu juro nunca mais comer carne de galinhas.
A galinha sabida como era não iria acreditar nas palavras daquela raposa astuta. - Há há há. Gargalhou a galinha deixando a raposa roxinha de raiva,
- Não acredito em suas falsas palavras. Vai ficar ai até amanhã ai resolvo o que merece. Disse a galinha.
A raposa ficou furiosa de tanta raiva, sem solução precisava esperar a noite passar e ouvir a decisão da galinha.
O urubu olhou a raposa na armadilha e disse baixinho:
- Bem feito quem mandou ser idiota e acreditar naquela galinha esperta, achou que era boba como as outras que acabaram em sua pança?
- Nada melhor que uma noite bem dormida, Disse a raposa. Amanhã vou mostrar àquela metida a esperta quem manda aqui na floresta.
E assim tia Cotinha encantou os seus alunos com mais uma historinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DIA DOS PAIS

PAI! Todos os dias é o teu dia Mas tem o seu especial Agosto é o teu mês Vou te falar outra vez; Enf...