segunda-feira, 3 de novembro de 2014

GRITA O PALHAÇO



Meninos e meninas- venham gargalhar
Hoje tem espetáculo- tem meninada!
E o palhaço o que vai fazer?
Falar besteira pra valer....


Vem! Já vai começar
O mundo da fantasia
Tem malabarismo
Tem pipoca e tem alegria...

E o palhaço o que é?
Gargalhando ele mesmo responde
Um bobo com certeza
Mas com muita esperteza...


cheirodepoesia@gmail.com
Foto: GRITA O PALHAÇO

Meninos e meninas- venham gargalhar
Hoje tem espetáculo- tem meninada! 
E o palhaço o que vai fazer?
Falar besteira pra valer....
 
Vem! Já vai começar
O mundo da fantasia
Tem malabarismo
Tem pipoca e tem alegria...

E o palhaço o que é?
Gargalhando ele mesmo responde
Um bobo com certeza
Mas com muita esperteza... 

cheirodepoesia@gmail.com

ZEZINHO



Menino curioso tudo queria saber
Na sua rua passa um caminhão
Daquele bem velho e roncando
Cheio de galinha e porco gritando...

Zezinho curioso atrás foi andando
Quanto mais o caminhão se afastava
E ele continuava- e ai tudo começou
Com aquela aventura Zezinho não contava...

Nas ruas ele seguindo sem saber a direção
Já estava escurecendo e vem à confusão
Zezinho sai correndo sem saber aonde vai
E nas estradas desertas lá se foi o caminhão...

A noite engoliu o dia tão correndo feito o vento
Zezinho não viu mais o caminhão na curva ele sumiu
Estava ali perdido e nada enxergava
Resolveu voltar para casa, mas não sabia onde estava...

Em casa todos gritavam a mãe chorava
Queria seu filho de volta não sabia o que fazer
Procuraram pela cidade ninguém sabia nada
A mãe ficada mais desesperada...

O dia já estava raiando o medo tomando conta
E olha quem vem chegando – grita o irmão
Era o Zezinho assustado de olhos esbugalhados
Abraçando a mãe ele jurou ter aprendeu a lição...

Irá Rodrigues. cheirinho de poesia
Foto: ZEZINHO

Menino curioso tudo queria saber
Na sua rua passa um caminhão
Daquele bem velho e  roncando
 Cheio de galinha e porco gritando...

Zezinho curioso  atrás foi andando
Quanto mais  o caminhão se afastava
E ele continuava- e ai tudo começou
Com aquela aventura Zezinho não contava...

Nas ruas  ele seguindo  sem saber a direção
Já estava escurecendo e vem à confusão
Zezinho sai correndo sem  saber aonde vai
E nas  estradas desertas lá se foi o caminhão...

A noite engoliu o dia tão correndo feito o vento
Zezinho não viu mais o caminhão na curva ele sumiu
Estava ali perdido e nada enxergava
Resolveu voltar para casa, mas não sabia onde estava...

Em casa todos gritavam a mãe chorava
Queria seu filho de volta  não sabia o que fazer
Procuraram pela cidade ninguém sabia nada
A mãe ficada mais desesperada...

O dia já estava raiando o medo tomando conta
E olha quem vem chegando – grita o irmão 
Era o Zezinho assustado de olhos esbugalhados
Abraçando a mãe ele jurou ter aprendeu a lição...

Irá Rodrigues. cheirinho de poesia

POESIAS COM CARDS...

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FELIZ DOMINGO!

O LIVRO...























 
Ler um bom livro

É gostoso e faz bem
A gente entra na história
Viaja no mundo da fantasia
E faz parte da poesia...

Ler faz bem ao espírito
Tem letras nas folhas caídas
Tem frases nas estrelas do céu
Tem até um poeminha com sabor de mel...

Tem palavras vagando na rua
Tem poesia brincando na lua
Tem historias nas ondas do mar
Perdidas a navegar...

Leitura tem sabores
Uva com abacaxi
Morango com framboesa
Tem até laranja misturada com kiwi...

Quem não gosta de ler
O canto do passarinho
Quando desperta gritando
E o dia anunciando...

E o vento quando assobia
Faz aquela sinfonia
Parece a poesia
Vibrando de alegria...

Irá Rodrigues

HALLOWEEN...















 
Bruxinha faceira

É delicia da noite
É magia é doação
É riso vira canção...

Não importa a dimensão
Sou bruxinha feiticeira
Vou onde o vento me levar
Ou aonde quero chegar...

Morcegos voam nas ruas
Corujas gritam e assustam
São monstros gargalhando
São bruxinhas brincando...

Não importa a hora da noite
É Halloween vem brincar
Seja bruxa seja fada
É só saber voar...

Irá Rodrigues
Foto: Bruxinha faceira

É delicia da noite
É magia é doação
É riso vira canção...

Não importa a dimensão
Sou bruxinha feiticeira
Vou onde o vento me levar
Ou aonde quero chegar...

Morcegos voam nas ruas
Corujas gritam e assustam
São monstros gargalhando
São bruxinhas brincando...

Não importa a hora da noite
É Halloween vem brincar
Seja bruxa seja fada
É só saber voar...   

Irá Rodrigues










 
A CASA DA BRUXINHA

A bruxa construiu a casinha
Bem no meio da floresta
A noite que assombração
Folhas que choram
Morcegos que voam...
Gnomos e fadinhas
Correm para suas casinhas
Fantasmas aparecendo
Abóboras se acendendo...
Gatos miando no telhado
Caldeirão fervendo
Corujas piando
Feitiços se fazendo...
Bruxinhas em suas vassouras
Chegam voando
É hora de ir andando
Tem criança chegando!

Irá Rodrigues -cheirinho de poesia
 




















E ASSIM É A BRUXINHA

Vestido preto chapéu de ponta
Rosto pintado verruga no nariz
Na sua vassoura ela apronta
Calça meia listrada sapatinho de verniz...

Acorda bem cedinho no fogo o caldeirão
Asas de morcego orelha de gato
Pega tudo que vem na imaginação
Da vovó não sobrou nem o sapato...

Irá Rodrigues
Foto: E ASSIM É A BRUXINHA

 Vestido preto chapéu de ponta
Rosto pintado verruga no nariz
Na sua vassoura ela apronta
Calça meia listrada sapatinho de verniz...

Acorda bem cedinho no fogo o caldeirão
Asas de morcego orelha de gato
Pega tudo que vem na imaginação
Da vovó não sobrou nem o sapato...

Irá Rodrigues

















SOU UMA BRUXINHA

Mas uma bruxinha do bem
Aquela que não faz mal a ninguém
Nem feitiço sei fazer
Bem que gostaria de aprender...

Assim enfeitiçaria os amigos
Com magias de felicidades
Que o amor nunca se perdesse
Nem as verdadeiras amizades...

Sou bruxinha do bem
Queria mesmo era saber voar
Andar na vassoura é cansativo
Para alcançar as estrelas e poder tocar...

Engraçado que sou uma bruxinha
Que morre de medo de morcego
Que adora o reflexo do mar
Mas não se olha no espelho...

Feia eu sou nem precisa me dizer
Adoro fazer umas maldades
Fingindo que sou criança
E me lambuzar de chocolates...

Sou uma bruxinha do bem
Nunca faço mal a ninguém...

Irá Rodrigues cheirinho depoesia
Foto: SOU UMA BRUXINHA

Mas uma bruxinha do bem
Aquela que não faz mal a ninguém
Nem feitiço sei fazer
Bem que gostaria de aprender...

 Assim enfeitiçaria os amigos
Com magias de felicidades
Que o amor nunca se perdesse
Nem as verdadeiras amizades...

 Sou bruxinha do bem
Queria mesmo era saber voar
Andar na vassoura é cansativo
Para alcançar as estrelas e poder tocar...

Engraçado que sou uma bruxinha
Que morre de medo de morcego
Que adora o reflexo do mar
Mas não se olha no espelho...

Feia eu sou nem precisa me dizer
Adoro fazer umas maldades
Fingindo que sou criança
E me lambuzar de chocolates...

Sou uma bruxinha do bem
Nunca faço mal a ninguém...

 Irá Rodrigues cheirinho depoesia











































SOU UMA BRUXINHA

Adoro fazer magia
Daquela que contagia
Gosto de travessuras
Adoro espalhar alegria...


Gosto de voar na minha vassoura
No meu feitiço coloco a paz
Ninguém saberá desfazer
Agora vamos ver quem será capaz...

Vamos lá fazer a magia
No fogo caldeirão fervendo
Um punhado de amor
Para espantar a dor...

Que aflige as criancinhas
Bruxinha boa é assim
Só faz feitiço de bem
Com raminhos de jasmim...


Irá Rodrigues - cheirinho de poesia














Agora vamos ver quem será capaz...

Vamos lá fazer a magia
No fogo caldeirão fervendo
Um punhado de amor
Para espantar a dor...

Que aflige as criancinhas
Bruxinha boa é assim
Só faz feitiço de bem
Com raminhos de jasmim...

Irá Rodrigues - cheirinho de poesia
Foto: SOU UMA BRUXINHA 

Adoro fazer magia
Daquela que contagia
Gosto de travessuras
Adoro espalhar alegria...

Gosto de voar na  minha vassoura
No meu feitiço coloco a paz
Ninguém saberá desfazer
Agora  vamos ver quem será capaz...

Vamos lá fazer a magia
No fogo caldeirão fervendo
Um punhado de amor
Para espantar a dor...

Que aflige as criancinhas
Bruxinha boa é assim
Só faz feitiço de bem
Com raminhos de jasmim... 

Irá Rodrigues -  cheirinho de poesia





















NOITE DE HALLOWEEN

Na minha vassoura de palha
No meu sádico sorriso
Voarei bem além do mar
O feitiço de bruxa vai me apoiar...

Ainda que se limite a me receber
Até criança quero assombrar
Bem do alto posso enxergar
Aqueles que vou enfeitiçar...

Juro ser uma bruxinha faceira
Não sou bruxa de escuridão
Nem moro com morcego
Prefiro uma cama gostosa
E ficar no meu sossego...

Mas uma pequena maldade
Essa sim eu vou fazer
Umas aranhas formosas
E uma bruxinha dengosa...

Abóboras com cara enfezada
Uma velinha acesa
Faz do cenário da noite
A magia da feiticeira...

E assim vou ser bruxinha
Na floresta vou morar
Uma casinha gostosa
Para a lua me encantar...

Nada de caldeirão fervendo
Nem fumaça de chaminé
Quero ser poderosa sentar na janela
Com cheirinho de canela
Sou bruxinha donzela...

Irá Rodrigues

Foto: NOITE DE HALLOWEEN 

Na minha vassoura de palha
No meu sádico sorriso
Voarei bem além do mar
O feitiço de bruxa vai me apoiar...

Ainda que se limite a me receber
Até criança quero assombrar
Bem do alto posso enxergar
Aqueles que vou enfeitiçar...

Juro ser uma bruxinha faceira
Não sou bruxa de escuridão
Nem moro com morcego
Prefiro uma cama gostosa
E ficar no meu sossego...

Mas uma pequena maldade
Essa sim eu vou fazer
Umas aranhas formosas
E uma bruxinha dengosa...

Abóboras com cara enfezada
Uma velinha acesa
Faz do cenário da noite
A magia da feiticeira...

E assim vou ser bruxinha
Na floresta vou morar
Uma casinha gostosa
Para a lua me encantar...

Nada de caldeirão fervendo
Nem fumaça de chaminé
Quero ser poderosa sentar na janela
Com cheirinho de canela
Sou bruxinha donzela...

Irá Rodrigues

ZÉ DO PICOLÉ



Todo domingo era assim
Saia o Zé gritando
Vem cá menino e menina
O picolé tá chegando...


Geladinho de abacaxi
Morango goiaba e mel
Tem até coco e de kiwi
Branquinha feita nuvem no céu...

Tem picolé de mangaba
Vem correndo vem ligeiro
Se demorar ele acaba
Não fico aqui o dia inteiro...

Venha cá meninada
Preciso ganhar dinheiro
O Zé tem picolé tem cocada
Tem doce e tem brigadeiro.. .


Irá Rodrigues- cheirinho de poesia
Foto: ZÉ DO PICOLÉ

Todo domingo era assim
Saia o Zé gritando
Vem cá menino e menina
O picolé tá chegando...

Geladinho de abacaxi
Morango  goiaba e mel
Tem até coco e  de kiwi
Branquinha feita nuvem no céu...

Tem picolé de mangaba
Vem correndo vem ligeiro
Se demorar ele acaba
Não fico aqui o dia inteiro...

Venha cá meninada
Preciso ganhar dinheiro
O Zé tem picolé tem cocada
Tem doce e tem brigadeiro.. .

Irá Rodrigues- cheirinho de poesia

NO ZOOLÓGICO



Tem macacos e macaquinhos
Morando juntinhos
Pulando e brincando
Trocando carinhos...


Tem hipopótamo dormindo
Jacaré na água cochilando
Tem canto de passarinho
Saindo do ninho...

Tem coelhinha reclamando
Do filho que sai pulando
Tem uma chuva fininha
Molhando a corujinha...


Irá Rodrigues – cheirinho de poesia...
Foto: NO ZOOLÓGICO

Tem macacos e macaquinhos
Morando juntinhos
Pulando e brincando
Trocando carinhos...

 Tem hipopótamo dormindo
Jacaré na água cochilando
Tem canto de passarinho
Saindo do ninho...

Tem coelhinha reclamando
Do filho que sai pulando
Tem uma chuva fininha
Molhando a corujinha...

Irá Rodrigues – cheirinho de poesia...

ABELHINHA GIGI



Voa de flor em flor
Colhe o pólen
Enche o potinho
Sempre com muito carinho...

E voa, voa ligeirinho.
Essa abelhinha Gigi
Com asinhas de cetim
Ela voa nas flores do jardim...

A noite chega cansada
Mas ela não vai dormir
A abelhinha é mesmo uma folia
Olha ela escrevendo uma poesia...

Rabisca e remenda versos
Descrevendo o sei dia
Busca no verso o reverso
Fala de flores e de alegria...

E assim a abelhinha Gigi
Com euforia termina seu dia
Mas antes de ir dormir
Chama todos e declama a sua poesia...

Aplausos daqui, gritinhos dali
Todos se encantam com a poesia
E assim dorme feliz a abelhinha Gigi
Para uma nova jornada do dia...

Irá Rodrigues- cheirinho de poesia
Foto: ABELHINHA GIGI

Voa de flor em flor
Colhe o pólen
Enche o potinho
Sempre  com muito carinho...

E voa, voa ligeirinho.
Essa abelhinha Gigi
Com asinhas de cetim
Ela voa nas flores do jardim...

A noite chega cansada
Mas ela não vai dormir
A abelhinha é mesmo uma folia
Olha ela escrevendo uma poesia...  

Rabisca e remenda versos
Descrevendo o sei dia
Busca no verso o reverso
Fala de flores e de alegria...

E assim a abelhinha Gigi
Com euforia termina seu dia
Mas antes de ir dormir
Chama todos e declama a sua poesia...

Aplausos daqui, gritinhos dali
Todos se encantam com a poesia
E assim dorme feliz a abelhinha Gigi
Para uma nova jornada do dia...

Irá Rodrigues- cheirinho de poesia

A BORBOLETA ZILÚ...



sai do casulo ganha o mundo
assa leves como o vento
flutuando pelo tempo...
de manhãzinha ela desperta
bica de flor em flor
prova do mel
sente o sabor
disputa o girassol
com um lindo beija flor...
e de tanto sugar
a flor se despetalou
ficou o beija flor a olhar
a borboleta chorou...
Foto: A BORBOLETA ZILÚ

sai do casulo ganha o mundo
assa leves como o vento
flutuando pelo tempo...
de manhãzinha ela desperta
bica de flor em flor
prova do mel
sente o sabor
disputa o girassol
com um lindo beija flor...
e de tanto sugar
a flor se despetalou
ficou o beija flor a olhar
a borboleta chorou...

TEMPO FLORIDO...



A primavera acaba de desembarcar na carruagem do tempo e todas as flores ficam animadas, era hora de florir, radiantes se balançam mostram-se mais belas, desfilam borboletas, abelhas e beija flores, deixando a natureza mais encantada,.
E as flores começam a disputa todas queriam conquistar o mais belo cravo que majestoso sorria pela disputa, a rosa branca meio triste se dizia muito pálida, não estava muito animada com o encanto das outras flores, as rosas vermelhas as mais exuberantes, as amarelas sempre as mais belas, as margaridas risonhas soltavam seus perfumes no ar atraindo insetos.
As azaleias com sua meiguice eram a s mais cobiçadas sempre colhidas ainda no sereno da madrugada para serem presenteadas a milhares de namoradas.
No finalzinho da tarde quando o sol se recolhia, o cravo que reparava na tristeza da rosa branca resolveu com ela falar, conversaram riram, gargalharam e no final a rosa se convenceu que entre todas as flores de cores fortes ela era a mais pura, mais singela, símbolo de grandes momentos como amor e casamento.
E assim a natureza aplaudiu, as flores ficaram felizes e a primavera irradiando a cada amanhecer..

Irá Rodrigues - cheirinho de poesia..
Foto: Tempo florido...

A primavera acaba de desembarcar na carruagem do tempo e todas as flores ficam animadas, era hora de florir, radiantes se balançam mostram-se mais belas, desfilam borboletas, abelhas e beija flores, deixando a natureza mais encantada,.
E as flores começam a disputa todas queriam conquistar o mais belo cravo que majestoso sorria pela disputa, a rosa branca meio triste se dizia muito pálida, não estava muito animada com o encanto das outras flores, as rosas vermelhas as mais exuberantes, as amarelas sempre as mais belas, as margaridas risonhas soltavam seus perfumes no ar atraindo insetos. 
As azaleias com sua meiguice eram a s mais cobiçadas sempre colhidas ainda no sereno da madrugada para serem presenteadas a milhares de namoradas.
No finalzinho da tarde quando o sol se recolhia,  o cravo que reparava na tristeza da rosa branca resolveu com ela falar, conversaram riram, gargalharam e no final a rosa se convenceu que entre todas as flores de cores fortes ela era a mais pura, mais singela, símbolo de grandes momentos como amor e casamento. 
E assim a natureza aplaudiu, as flores ficaram felizes e a primavera irradiando a cada amanhecer..

Irá Rodrigues - cheirinho de poesia..

DIA DOS PAIS

PAI! Todos os dias é o teu dia Mas tem o seu especial Agosto é o teu mês Vou te falar outra vez; Enf...