terça-feira, 23 de setembro de 2014

NO MAR...




No mar
Tinha um casal de peixinhos
Viviam sempre a brincar
E no o fundo do mar
Resolvia ficar...

Os pais sempre a chamar
Mas eles não obedeciam
O peixinho multicor
Adorava passear...

 E com ele sempre levava
A peixinha cor de rosa
Ele meio atrapalhado
Ela meiga e carinhosa...

Fafá e Fifi como eram chamados
Estavam sempre em confusão
Sempre Fafá que aprontava
Fifi só acompanhava...

Quando os dois resolviam subir
A criançada se animava
Eles subiam nas ondas dançavam
E logo para o fundo do mar voltavam...

Irá Rodrigues

SENTI...


... Saudade da minha boneca de pano
Meiga que nem sabia falar
Feita com trapo cabelo de lã
Mas que eu adorava brincar...

Só tinha boneca de pano
Feita de qualquer farrapo
Hoje boneca sabe andar
Cantam canção de ninar...

Mas a boneca de pano não se esquece
Menina cheia de trapo com rosto parado
Toda sujinha roupinha de chita
Saudades de tu Chiquitita...

A vida adulta chegou
E a minha boneca de pano
 Ai veio o tempo sem pena
E junto com minha historia levou...

Não sei por onde está agora
Talvez num lixão abandonada
Junto com minha historia
Querendo ser resgatada...

O QUE ISSO QUER DIZER? ...




Estatuto da criança
Todos dever ir à escola,
Ter carinho casa educação
Se nem comida tenho
E durmo no chão...

Não tenho nome
Só me chamam malandro
Pivete ou ladrão
Família, o que é isso?
Meu pau é o transito
Minha mãe solidão...

Morada se chama rua
Brinquedos a pistola na mão
Minha escola é rua
Professor é o trafico
Meu desejo compaixão...

Que a sociedade acorde
Quero apenas um lar
Ser criança ser feliz
Que o homem enfim concorde
Que criança merece a felicidade
Tio!
Só quero viver com dignidade...

CRIANÇA...



Quando Deus projeta
Inspira-se na calmaria do mar
Com sua beleza que acalma.
Traz do céu a luz das estrelas
Para fazer brilhar
O sorriso dos anjos
A meiguice da lua.
Semeia a pureza das florestas
O encanto dos pássaros
A serenidade do amanhecer.
Eis a razão de a criança ser uma bênção
Aquele anjo que Deus projetou
Que a maldade humana
O transformou...

ESPANTO!




Um garoto espantado
De olhar encantado
Senta-se na praia
Desconfiado
Olha um lado
Olha o outro...
Coloca os pés na água
Envergonhado
Com medo
Levanta
 Senta
Brinca na água
Pega um peixinho
Brinca feliz
Solta o bichinho...
E corre cai no mar
Era seu dia feliz
Um menino
Que via o mar
Pela primeira vez
Sem família sem lar
Ali  resolveu ficar...

E O DIA NASCE...



Todo sorridente
Em meio ao roseiral
Bandos de bem te vi
Cantam  para mim...

Mais que contente
Gritam com alegria
Macaquinhos
Saltam
Pulam...

 Esquecida no jardim
Borboletas
Pirilampos
E até sapinhos...

Luzes de vaga-lumes
Lançam-se ao mar
Ao longe parecem barquinhos
Perdidos
Navegando
Sem rumo
Perde o prumo...

É tanto carinho no ninho
São galhinhos secos
Asinhas entrelaçadas
Criaturinhas ousadas...

De bicos  compridos
Perninhas alongadas
Parecem bailarinas
Essas doces meninas...

BICHO ESTRANHO



 Nunca vi um bicho estranho
Como esse mocinho aqui
Estava na folha dormindo
Antena empinada
Cara fechada
Os olhos esbugalhados
Quatro patas
E não tem asas...
Aqui no sitio tem insetos
Cada um mais esquisito
Mas esse eu nunca vi
Grande e meio inquieto...

POESIAS DA PRIMAVERA..





Jardim esvoaçante

Pirilampos bailam perdidos
Borboletas saltitantes- se exibem
Ensaiam uma dança- coreografada
Num ritmo esvoaçante se agitam...

 Ensaiam bailados em meio ao jardim
Girassol luminoso sorrindo para o sol
É tanta magia num segundo
 Pássaros voam dão volta ao mundo...

Em campos regados e fecundos
Dormem sementes agasalhadas
Invejando o sol que acorda cedinho
 Iluminando a natureza com seu carinho...

E na borda  das ondas do mar
Andorinhas bicando bordam flores
Com raminhos de rosas e jasmim
Em belezas estonteante de cores...

No finalzinho da tarde reaparecem os pássaros
Saltitantes á beira do penhasco
Colhendo folhas  e raminhos
Para construirem seus ninhos...







 É jardim florido

É tanto esbanjar de cores
Desfilam rosas contagiantes
Jardineiros esvoaçantes...

Flores desse jardim
Que sabem sorrir
Muda as estações
Invadem corações...

Flores da primavera
Cores de verão
São belas são cheirosas
Não importa a estação...

Sutileza de flores
Leve a ser carregada
É vento que sopra suave
É jardim de invernada...

Jardim que encanta
Que acalma flores agitadas
É a primavera que se inicia
Trará sementes renovadas...

E assim é o VIVENDO CRIANÇA
Todo colorido de magia
Feito de rosas cheirosas
Transformadas em poesia...

Irá Rodrigues






 Luizinho
Era uma criança sapeca
Acordava corria para o jardim
Dizia-se ser jardineiro
Entre as flores ficava o dia inteiro...
Com seu regador uma pá e um ancinho
Ele se misturava nas flores amarelas
E ficava com essa carinha de sapeca...
Luizinho é uma criança feliz
As horas iam passando ele nas flores brincava
Sua mãe sempre chamava
Mas Luizinho chorava e dali não se afastava...

Irá Rodrigues

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

O CACHORRO ATRAPALHADO...



Ou bichinho teimoso sai para passear
Nunca quer obedecer aos comandos da dona
Sai em disparada – ele só quer brincar
Ou cachorrinho atrapalhado
No parque é um pula, pula no fim fica cansado.
Mas logo volta animado e sai num corre, corre.
A menininha  vai à frente ele correndo atrás
Olha as trapalhadas que esse cãozinho faz...
A mamãe começa gritar: - filha volte aqui ou pode se machucar.
Venha também seu cãozinho atrapalhado
Seja mais obediente ou serás castigado...
Não terás a festinha de aniversário
Seu brinquedo predileto ficará bem guardado
Só voltará a brincar quando souber obedecer
Venha seu cãozinho atrapalhado parem de correr...

ABORTO


Gerar um filho é o maior presente doado por Deus
A vida de um ser tão pequenino crescendo no ventre
Aquela sensação gostosa  que só sendo mãe vai saber
E quem ainda não é sabe bem entender...

Abortar é um ato criminoso que se faz sem pensar
Essa sementinha que se mata amanhã seria um adulto
Um ser humano do bem, o futuro da nossa nação.
Que você com sua covardia não deu proteção...

Abortar pode ser hoje para você uma solução
Amanhã  o remorso vai continuar com você
Quando encontra uma criança sorrindo feliz
Ira recordar de aquele ser que você nunca quis...

Nem dava para saber se era um filho ou uma filha
Era tão pequenino ali protegido em seu ventre
Ele já respirava dormia sereno e sonhava
No dia em que nos teus braços pudesse ver a luz
Na batalha da vida esse ser implorava...

 Mas sua mãe não o escutava apenas queria abortar
Um filho iria lhe atrapalhar – tomar seu tempo
As festas os passeios, o corpo bem feito-  a vaidade
Tudo isso foi motivo para praticar essa maldade...

O BEIJA FLOR...






Nas páginas de um livro
Declama um beija flor
São tantas letras perdidas
E eu aqui nesse calor...

Ah! Se pudesse voar
Bem longe iria parar
Voaria dessas paginas
Onde querem me trancar...

E num deslize de letras
O beija flor bate asas
Vai livre encantar o jardim
Deixando a poesia sem fim...

TUDO PRONTO PARA A DISPUTA



E começa o confronto o leão como o rei da floresta
Faz a seleção convida o macaco para jurado
O guaxinim  para dar a partida
A serpente   vai  ser a juíza.
E começa a confusão o porco espinho
Quer sair na frente e grita valente
Ou saio de primeira ou eu solto os meus espinhos
E  ai  de quem o  pisar! Solto pelos caminhos...
Quando a briga começa a esquentar
O leão dar um rugido deixando todos quietos
Olham aqui seus espertalhões a coisa aqui é seria
Sai na frente quem eu decidir que não gostar
Pode sumir daqui e não mais voltar...
E começa a seleção- vem o gato e o rato
O gambá e o tatu esses corram na frente
Vai ganhar quem pela manhã puder aparecer
Lá na floresta das cores até  o sol nascer...
E saem em disparada todos os animais da floresta
O leão o macaco e guaxinim  seguiriam de carruagem
Assim esperariam quando todos chegassem afobados
Para serem vencedores e seus prêmios ganharem...     

E começa o confronto o leão como o rei da floresta
Faz a seleção convida o macaco para jurado
O guaxinim  para dar a partida
A serpente   vai  ser a juíza.
E começa a confusão o porco espinho
Quer sair na frente e grita valente
Ou saio de primeira ou eu solto os meus espinhos
E  ai  de quem o  pisar! Solto pelos caminhos...
Quando a briga começa a esquentar
O leão dar um rugido deixando todos quietos
Olham aqui seus espertalhões a coisa aqui é seria
Sai na frente quem eu decidir que não gostar
Pode sumir daqui e não mais voltar...
E começa a seleção- vem o gato e o rato
O gambá e o tatu esses corram na frente
Vai ganhar quem pela manhã puder aparecer
Lá na floresta das cores até  o sol nascer...
E saem em disparada todos os animais da floresta
O leão o macaco e guaxinim  seguiriam de carruagem
Assim esperariam quando todos chegassem afobados
Para serem vencedores e seus prêmios ganharem...  














  

CRIANÇA DO TEMPO DA VOVÓ...





























 Adorava as historinhas do faz de conta
As bruxas que voavam no telhado
Montadas em suas vassouras
Tinha até o gato preto atrapalhado...

O saci e a  mula sem cabeça
Enquanto ouvia o medo aumentava
Mas qual criança não gostava
Das historinhas que a vovó contava...

POESIAS DA PRIMAVERA




O dia acorda

A primavera desperta trazendo suas flores
Manda que o sol abra suas janelas
Irradie seu brilho assanhe os pássaros
Faça a festa num arco íris de cores...









 AS DUAS LIXEIRINHAS

Saíram para passear
E num belo jardim
Resolveram ficar...

Era primavera
E flores foram colher
O nome dela era margarida
Uma linda lixeirinha florida...

Ele era o jasmim
Enquanto durasse a primavera
Os dois resolveram ficar
Morando naquele jardim...

















Luizinho
 Era uma criança sapeca
Acordava corria para o jardim
Dizia-se ser jardineiro
Entre as flores ficava o dia inteiro...
Com seu regador uma pá e um ancinho
Ele  se misturava nas flores amarelas
E ficava com essa carinha de sapeca...
Luizinho é uma criança feliz
As horas iam passando ele nas flores brincava
Sua mãe sempre chamava
Mas Luizinho chorava e dali não se afastava...

Irá Rodrigues

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

PEDRINHO...




Era um menino alegre que viva correndo
Saltitava feito um coelhinho
Nunca parava sentado – dizia-se inquieto
Assim era o menino Pedrinho...

Na sala de aula ele era sempre o primeiro
Assim teria mais tempo para ficar lá fora
E brincar com suas bolinhas de gude
Mas até esse sonho foi embora...

O Pedrinho perdeu a alegria de viver
Não tinha mais amigos- todos desapareceram
Um dia sua mãe resolveu levar o menino
Para estudar em uma escola especializada
E assim Pedrinho encontrou novos amigos...

O tempo passava e Pedrinho se sentia mais alegre
Os amigos do passado não encontravam mais
Agora tinha uma nova vida e era mais feliz
Mesmo vendo que suas pernas ficavam cada vez mais finas...

O Pedrinho havia sofrido de paralisia
Sua mãe havia se esquecido de levar ao posto
Para que Pedrinho pudesse se vacinar
Por isso Pedrinho não pode mais andar...





A VASSOURA


ENCANTOS NUM JARDIM...





Borboletas voam, voam.
Com tanto colorido
Azul, amarela, vermelho.
Misturam-se em cores
Num emaranhado de flores...






 

E na colina elas trabalham
Colhem  néctar fazem o mel
As abelhinhas faceiras
Meninas trabalhadoras
...





 A cigarra só sabe cantar
Nem pensam em trabalhar
Melhor ficar a cantar e a cantar
Até o inverno chegar...












O grilo se mete a cantor
Nas noites chegam  gritando
Ou bichinho miudinho
Que faz um barulho danado...






Os gafanhotos esses que dó
Nada fazem só sabem estragar
Entram-se numa plantação
Nada ali vai sobrar...












   Vaga - lumes
 Esses sim
Em noites escuras
Aparecem piscando
São estrelinhas
Que chegam encantando...



 













 Num canto uma minhoquinha
Espera regar a plantinha
Na terra ela quer entrar                                                        
Morre de frio a coitadinha...

O PATINHO DIFERENTE

O patinho azul era muito solitário, por ter a cor diferente vivia sozinho e excluído por todos da sua família. O patinho azul nas...