sábado, 16 de junho de 2018

AQUELA CIGARRA





Que no cajueiro ontem cantava
Hoje não se sabe o que aconteceu
A cigarra desapareceu
Assim a folia se acabava.

O cajueiro também queria saber
Gostava daquele canto
Não achava um espanto
Como a formiga costumava dizer.

 Era amizade de verdade
De um cajueiro e uma cigarra
Que tranquila no tronco se agarrava
O cajueiro suspirava de saudade...

Autoria- Irá Rodrigues
http://iraazevedo.blogspot.com.br/
Diretora Internacional da divisão de Literatura Infanto-juvenil

AQUELA CIGARRA

Que no cajueiro ontem cantava Hoje não se sabe o que aconteceu A cigarra desapareceu Assim a folia se acabava. ...