quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

NATAL!











Quantas crianças abandonadas
Pela família pela vida e pela sociedade
Que vive coberta de maldade
Sem um olhar nas frias madrugadas...


Quantos corações sem esperança
De sonhos esquecidos
Sonos mal dormidos
Na vida de muitas crianças...


Quantas injustiças nessa vida
Muitos com tanto luxo na noite de Natal
Outros sem um pedaço de pão
Só tristeza no coração...


Chega o Natal – pedimos Senhor
Quando o sino da capela badalar
Estende tua luz para amparar
As crianças que tanto precisam de amor...


Quantos seres pequeninos
Sem lar, sem família sem proteção,
Precisando apensa de um abraço e proteção
Um brinquedo e um carinho...


Natal!
Data que deveria ser diferente
Que olhassem para essa gente
Que soubessem o verdadeiro significado
Do Natal do menino Jesus...






NATAL DA MINHA INFÂNCIA

Natal!
Como falar sem relembrar o passado,
A minha infância onde tudo era tão simples
Cartinhas penduradas nas árvores
Luzes só as estrelas piscando no céu
A ansiedade a espera do bom Papai Noel...

 Na noite de Natal a família se reunia na igrejinha
Onde com fé se faziam as orações
Era momento de paz e união invadindo os corações...

Assim que chegava ao fim reuniam-se
Em volta da mesa,
Hora de degustar o saboroso jantar
Criança não tomava vinho
Mas tinha suco com bolinhos.

Antes de dormir era hora de colocar o sapatinho embaixo da cama
E quando o dia raiava era aquela euforia
Corríamos para a sala desembrulhar os presentinhos.

Era tudo tão simples, mas era muita alegria,
Uma meia um laço de fita
Uma boneca de pano, um carrinho para os meninos,
Tudo que se recebiam felizes se agradecia.





NATAL NA FAZENDA..

No meu tempo de criança
Vivendo lá na fazenda
Tudo era singelo
Não existia maldade
Só reinava a bondade...

Chegava o dia de Natal
Era aquela ansiedade
Os preparativos
A chegada dos amigos...

Natal era um sonho encantado
Sapato novo, vestido engomado,
Tudo cheirava a alegria
Era um mundo de magia...

E quando a noite chegava
A criançada corria para olhar o céu
Todos queriam ver o Papai Noel
Mas ele nunca passava...
A casa se enchia de alegria
Os amigos iam chegando
Era tudo tão lindo
Criança brincando e sorrindo...

Na sala era tradição
O presépio onde o menino Jesus
Dormia sereno na manjedoura
A casa ficava festiva, aquela paz acolhedora...


Lembro-me até hoje do meu primeiro presente
Uma bonequinha de pano, vestidinho estampado,
Era linda e bem sorridente
Com certeza foi o meu melhor presente...



E assim foi um dos meus Natais
O que eu  vivi ali  nunca me esqueço
Hoje recordo com saudade
Momento assim não se vive mais...









 


O QUE É O NATAL?

De horas sem esperança
Pessoas por ai esquecidas
Sonhos de noites mal dormidas
Olhar triste de uma criança...

Natal de crianças abandonadas
Vagando nas ruas sem proteção
Sem um abraço nem um perdão
Com fome e com frio nas madrugadas...

Natal das injustiças da vida
Muitos esbanjando tanto luxo
Outros sem um pedaço de pão
Falta amor em cada coração...

É Natal Senhor!
Quando o sino a meia noite badalar
E as luzes começarem a piscar
Lembre-se  das crianças que vivem sem amor...

Desses seres pequeninos
Sem lar, sem família vivendo ao léu,
Que sonham com um Natal
Um brinquedo um carinho...



*.。˛* ˛. *☆҉ *. ˛*.。˛* ˛. *☆҉ *. ˛*.。˛* ˛. *☆҉
°*_██_*.。*./ \ .˛* .˛。.˛.*.★**★ 。* . *☆҉F
˛. (´• ̮•)*...*/ ♫.♫\*˛.* ˛_Π_____.*.*☆҉ ˛**. ˛*.。˛. *☆҉X
.°( . • . ) °../• '♫ ' •\.˛*./______/~\*. ˛*.。˛* ˛*.。˛* ˛. *☆҉
*(...'•'.. ) *˛╬╬╬╬╬˛°.|田田 |門|╬╬╬╬╬*˚*. ˛*.。˛* ˛. *☆
***************************Feliz Natal!2016

terça-feira, 22 de novembro de 2016

A RAPOSA FINGIDA







Morava bem perto do curral
Pela manhã
Saia da sua toca
Com vontade de devorar
As galinhas que gostavam de passear...


Encontra um galo
Com seu lindo cantar
Deixando a raposa
Sem jeito para atacar...


O galo só queria
Proteger suas galinhas
Com um grito espantou
A raposa se mandou...


A raposa voltou de quietinha
Começou a bajular o galo
Elogiava as galinhas
Só querendo atacar...


E continuava a raposa
Que penas lindas você tem
Essa cor alaranjada
Parece pluma dourada...


O galo desconfiado
Na cerca pulou
A raposa fingida
Dali se mandou...




Autoria- Irá Rodrigues

A HISTÓRIA DE UM LIVRO

A MENINA QUE MORA EM MIM


É uma menina doce
Embalada em sonhos
No silencio da noite...
Psiu! Não acorde ela dorme...

Essa menina tão meiga
Também gosta de aventuras
Voar nas franjas do vento
Confabular com o tempo.

A menina que mora em mim
Gosta do cheiro do mar
Gosta de quem sabe amar
É como a flor de um jardim...

Essa menina especial
Faz poesias para as estrelas
Não gosta de bens materiais
Para ela todos são iguais...

A menina que mora em mim
Distribui mil sorrisos
Espalha o sabor da bondade
Essa menina se chama felicidade...

Essa é uma menina diferente
Ama flores e passarinhos
Encanta-se com um pingo de chuva
Adora cheiro de terra molhada...

A menina que mora em mim
Perfuma a vida com alegria
Trás no sorriso a calma
Na meiguice embala a alma...

A LAGARTIXA


A lagartixa Cotinha coitada
Colocou no pescoço
Um calar tão pesado...
Saiu cambaleando toda atrapalhada...

A metida nem se deu conta
Que o peso do seu colar
Atrapalhava o seu andar.

Quando chegou a festa
Passava muito mal
Foi direto para o hospital.

A pobre tanto que chorava
O pescoço já todo vermelho
Arregalou os olhos ao ver no espelho
Inconformada gemia e soluçava...

DESIGUALDADE SOCIAL


Essa doença se chama
Falta de consciência
Caráter sem razão
De crianças vivendo sem compaixão......
Faça uma listagem e se assuste
Prostituição infantil
Exploração de menores
Drogas dominando tudo
Crianças perdidas no mundo...
A falta de amor de proteção
Abandonadas nas ruas
Filhos indesejados
Essa é a nossa nação...
Criança não é lixo não!
Cuidem com proteção
Ela precisa de lar
Precisa de educação...
Criança é gente
Ela passa fome passa frio
Ela quer apenas um pão
Não finge ser cego não!
Que país é esse meu Deus
Só sabem levar vantagens
E as crianças?
Essas vivem em desvantagens...


FOLIA DOS VAGA-LUMES


Suas bundinhas coloridas
Feito luzes a piscar
Parecem lacinhos...
Que voam sem parar...

Tem o gosto de um sorriso
Por mais escuro que esteja
A meninada se encanta
Nem luz é preciso...

Com suas bundinhas acesas
Piscam que é uma beleza
É um corre querendo pegar
E todos podem brincar...

Irá Rodrigues.

É NATAL!




Luzes piscam
Sinos tocam
É tanta alegria
O amor contagia...
É tempo de agradecer
Fazer pedidos
Falar de papai Noel
Lembrar os amigos.
É família reunida
Riquezas em muitos lares
Tristeza em outros mil
Mas é Natal!...
É tempo de criança
De colocar o sapatinho na janela
Perder o sono
Esperar o velhinho chegar
Acordar sorrindo
Exibir os presentes
Ser criança
Sorrirem contentes...








PAPAI NOEL!

 Já coloquei meu sapatinho
Não esquece o meu presente
Escuta o que vou te pedir
Traz meu amigo ausente...

Não quero presentes caros
Quero uma cesta recheada
De amor caindo dos lados
Carinhos bem recheados...

 Quero também sentimentos
Um pouco de luz não faz mal
Não esquece Papai Noel
Meus presentes de Natal...

Não quero presentes caros
Nem embrulhos caprichados
Quero paz e o amor abraçados
Quero família  com  gostinho de abraços...





O MENINO E O CURIÓ