quarta-feira, 20 de julho de 2016

QUANTAS CRIANÇAS


Perdem a esperança
Vendem bala no sinal
Nunca brincou de ser criança...

 
Tristes voltam para casa

Ou seja, um casebre
Sujo sem energia
Sem pão
Apenas uma esteira no chão...


Ali tentam dormir
A barriga roncando
Só lhes restam
Dormir sonhando... 


Irá Rodrigues

VEM COMIGO...


Pular corda
Ir ao parque
Ri gostoso...
Sentar na grama
Contar piada
Fazer até palhaçada...
Vem comigo...
Comer pipoca
Doce
Caramelada
Tomar sorvete
Fazer bagunça
Virar criança...
Gritar sem medo
Subir em árvores
Soltar pipa
Colorir a vida...
Vem comigo!
Distribuir alegria
Ouvir o canto
De um bem te vi
E até uma cotovia...
Vem comigo
Brincar de roda
Ser ciranda
Ser eu
Ser você
Ser feliz
Com essa criançada... 



Irá Rodrigues

A LAGARTIXA ZOZÓ


Puxou o rabo deu um nó
A dor era tanta começou a chorar
Gritou o calango para ajudar..


O calango todo contente
Sabia da sua intensão
Fez isso para chamar sua atenção
Agora ela que se aguente..


Seu coração já estava ocupado
Sua amada era uma formosura
Uma lagartixa das finuras
Por ela ele estava apaixonado...


Coitada da lagartixa zozó
O nó apertou o rabinho caiu
Gritou, gritou ninguém acudiu,
Saiu gritando de dá dó...



Irá Rodrigues



CORRE DONA SABIÁ






Coloca a roupa para secar
A chuva vem de mansinho
Protege o teu ninho...
Ou poderá se molhar...

Se ai a chuva chegar
Abre a sombrinha
Agita as asinhas
Corre aqui tem lugar...

A brisa mandou avisar
Que a nuvem está apressada
Corre deixa de ser atrapalhada
Depois não vem reclamar...


A BOLA


Rola, rola
De pé em pé
Não pode se cansar
A noite...
Fica feliz
Num canto
Pode descansar..




Irá Rodrigues

O SAPO


À noite sozinho
Olha as estrelas
Sente-se solitário. ...
O lago tão comprido
O silêncio esquisito
O sapo sombrio
Se abraça
Morrendo de frio...




Irá Rodrigues

O GRILO TONTO


No seu violino
Tocou, tocou
Atrapalhou o sono...
De quem precisava dormir.
Pela manhã
Levou um tombo
O bico do sapato
Chutou longe
O grilo tonto.
Logo se calou
Quando chegou a formiga
E o devorou..


Irá Rodrigues

JUQUINHA


Começa a imaginar
Precisava arranjar o que fazer
Ou iria enlouquecer...
Sozinho naquele lugar.

Mão no queixo começa a pensar
Queria um livro ilustrado
Mas como se estava ali trancado
Nem um mosquito para lhe escutar.

Se um livro ele tivesse poderia viajar
Conhecer lugares pelo mundo
Mas vivia naquele buraco sem fundo
Só lhe restava sonhar e sonhar..

Sonhava ir além da sua imaginação
Queria um lápis e um papel
Descrever a beleza do céu
Falar também da sua solidão...






MARIQUINHA


Acordou abriu a janela
A brisa lhe trouxe
Uma flor amarela...
Dançou no quarto
Embolou a cortina
Saiu em disparada
Sem dizer nada...



Irá Rodrigues

NAS ASAS DA ESPERANÇA




Hoje despertei criança
Fiz loucuras
Pedir até pro coração
Pra ir além da imaginação...
Pegar carona em duendes
Invadir florestas
Na magia do tempo
Ter asas poder voar
Ser toda criança brincar...

Criar historinha
Sentar na grama
Reunir um monte
De crianças carentes
Ri atoa
Ver em cada olhar
O quanto estão contentes...

Pegar pirulitos
Se lambuzar
Gritar bem alto
Vem comigo brincar
E no fim da tarde
Voltar pra casa
Coisa boa é ser criança
É poder viajar
Nas asas da esperança...





Irá Rodrigues

ESPERTEZA DOS GATOS







Tem gente que acha que gato não sabe nada
Dizem até que gato não pensa
Gato é bem mais esperto...
E ágil feito o vento...

Gato é muito sabido só faz sujeira na areia
Dorme nas almofadas, mas se quer fazer xixi
Sai correndo procurar seu cantinho
Gato nunca faz coisa feia...



Irá Rodrigues

O MELÃO




Fruta amarelinha
Na roça é colhido
De tão belo que é
No mercado é o preferido.
Quem gosta escolhe bem
O melão amarelinho
Por dentro todo branquinho
Puro ou no suco
É bem gostosinho...

Irá Rodrigues

sábado, 16 de julho de 2016

ENSINE O ALFABETO BRINCANDO


GAIVOTAS VADIAS





Gritam ali
Bicam aqui
Migalhas de pão
Fiapos de peixe
Encontram um banquete
Brigam
Estranham-se
Uma se ajeira
Dá uns pulinhos
Entra na água
Mete a cabeça
Pesca um peixinho
Mexe-se
Sacode o bichinho
Engole todinho..

Irá Rodrigues

FOI ASSIM




Era uma tarde chuvosa
Daquelas que pede uma prosa
Abro a janela por um instante
Olha quem pousou na minha estante...

 Eufórico muito cansado
Bico aberto envergonhado
É ele mesmo um passarinho
Em busca de um cantinho...

Onde pudesse se abrigar
Da chuva que não queria parar
Um passarinho azul- sanhaço
Em busca do meu abraço...

Descansado bateu a asa
Partiu para sua casa
Nem ao menos agradeceu
O carinho que recebeu..

Era uma tarde chuvosa
Daquelas que pede uma prosa
Abro a janela por um instante
Olha quem pousou na minha estante...

 Eufórico muito cansado
Bico aberto envergonhado
É ele mesmo um passarinho
Em busca de um cantinho...

Onde pudesse se abrigar
Da chuva que não queria parar
Um passarinho azul- sanhaço
Em busca do meu abraço...

Descansado bateu a asa
Partiu para sua casa
Nem ao menos agradeceu
O carinho que recebeu..


O PATINHO DIFERENTE

O patinho azul era muito solitário, por ter a cor diferente vivia sozinho e excluído por todos da sua família. O patinho azul nas...